Perguntas e Respostas sobre Hiperuricemia e Gota


1) O QUE É GOTA? O QUE É HIPERURICEMIA?


A gota é uma das doenças mais antigas em termos de identificação diagnóstica. A gota parece ser hereditária, não é contagiosa e é caracterizada por crises periódicas e súbitas de dor e inflamação das articulações.

Na maioria das vezes essas crises se manifestam no grande artelho (dedo grande/do pé), mas podem ocorrer em outras articulações como: tornozelos, joelhos, dedos das mãos, cotovelos, etc. O ataque agudo, freqüentemente, ocorre à noite com dor na articulação ou articulações afetadas.

O sintoma doloroso intensifica-se e em algumas horas atinge sua máxima intensidade. Essas crises periódicas podem repetir-se depois de algumas semanas, meses ou anos de intervalos. A gota é uma enfermidade metabólica produzida por grandes quantidades de ácido úrico (Hiperuricemia)

 

2) POR QUE PODE OCORRER AUMENTO DO NÍVEL DE ÁCIDO ÙRICO NO SANGUE?

O ácido úrico é produzido normalmente no organismo humano através de processos químicos naturais e é eliminado em sua maior parte na urina e em menores quantidades nas fezes e na transpiração. O aumento da quantidade de ácido úrico no sangue é devido a dois fatores:

a) O ácido úrico poderá não estar sendo suficientemente eliminado na urina.

b) O organismo poderá estar produzindo quantidades muito elevadas de ácido úrico.

 

3) QUAIS SÃO OS RISCOS DAS ALTAS CONCENTRAÇÕES DE ÁCIDO ÚRICO NO SANGUE?


O ácido úrico, sendo pouco solúvel nos líquidos orgânicos, ao ter sua concentração aumentada no sangue poderá precipitar-se, depositando-se sob a forma de cristais de urato nas articulações e cartilagens articulares.

Esses depósitos chamados “TOFOS”, ocorrem mais freqüentemente no dedo grande dos pés (grande artelho), tornozelos, mãos, cotovelos, joelhos, etc., além de ocorrerem também na cartilagem das orelhas e nos rins, onde pedras (cálculos) poderão ser formados. Esses cálculos além de provocarem intensas dores devidas aos seus deslocamentos, poderão lesar os tecidos renais, provocando infecções e até levar à insuficiência renal.

 

4) O QUE O PACIENTE DEVE FAZER PARA AJUDAR O TRATAMENTO?


a) Seguir à risca todas as recomendações do médico.

b) Tomar o medicamento receitado, regularmente, sem interrupções.

c) Alimentar-se através de uma dieta balanceada (normocalórica) relativamente baixa em gorduras e elementos purínicos, evitando bebidas alcoólicas.

d) Manter peso normal, sem se submeter a “dietas de fome”. As dietas drásticas e o sobrepeso contribuem para a severidade da enfermidade e dificultam o seu controle.

e) Ingerir líquidos apropriadamente. Se não houver contra-indicações do médico a este respeito, o paciente deverá ingerir cerca de 2 litros de água por dia, a fim de aumentar a excreção urinária e reduzir a possibilidade de formação de cálculos.

f) Praticar exercícios físicos moderados e constantes, desde que o paciente não esteja sob crise aguda (andar, ginástica de solo, hidroginástica, etc) Exercícios esporádicos e violentos não devem ser praticados, pois serão prejudiciais.

g) Evitar exposição ao frio, utilizando roupas adequadas e repouso.